quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Refleti

Olha, acredito que as coisas não acontecem por acaso. E digo mais, são meio que provas para sermos testados, apontados e zombados pela própria vida. Mas isso não vem ao caso agora, o que importa é que num segundo estamos batendo a cabeça no teclado e no outro segundo estamos sorrindo. É sempre assim. As coisas deixam de ter importância quando mudamos o foco. Hoje mesmo de manhã eu estava extremamente depressivo, me sentindo uma vítima do universo e demonizando a deus e o mundo. Duas horas se passaram e eu estou aqui, arriscando até a ouvir uma música alegre. Sei que qualquer coisinha pode colocar tudo a perder. O fato é que eu deveria estar bem. Não, na verdade não tem essa de dever ou não dever estar bem, o que pega é que eu não tenho motivos concretos para estar mal, e isso me intriga. Vamos lá: Moro numa casa relativamente perto do meu trabalho, trabalho num ponto legal e perto de tudo, tenho um relacionamento legal com a minha família, tenho dinheiro para comprar quase tudo que tenho vontade (se eu economizar, eu tenho mesmo), sempre que sinto vontade de comer alguma coisa diferente vou lá e compro e arrisco dizer que tenho amigos de verdade (poucos, mas bons). Enfim, não tenho motivos. A partir de hoje me permitirei ser feliz.

E digo mais: ando sentindo aquelas coisinhas na barriga (não, não é revoltas intestinais).
Foda-se.

Se eu me sentir seguro vou lá e faço (não, não é cocô).

Sem mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário